Trabalhos finais de Linguagens contemporaneas – 2016

Adaptadores

https://drive.google.com/file/d/0B8rgl6Rpv5qWbkVENFRnUV9fcUE/view 
Membros: Daniel Batista, José Octávio Marino, Leonardo Bortolussi, Lucas Wakamatsu, Marina Fujimori, Ricardo Ximenez.

Animakers

https://drive.google.com/file/d/0B3Lq–JMUSWIRGV2TnNPUTVtSVU/view
Membros:  Arissa Miki Ito, Cahenna Sales, Édipo Gama, Fernanda Cavenaghi, Letícia Rosemilia, Natália Schiavon, Tie Nakata.

bee box – caixa de abelhas

https://drive.google.com/file/d/0B0iFzWxRvXmsd3pkUDFHTmFMVG8/view
Membros: Yuuho Torihara e Marina Carvalho

beehive

https://drive.google.com/drive/folders/0Bxt7_kyAayM3RXpISjg1ZTJqY3M
Membros: Bruno Pavão de Oliveira, Cainã Brinatti, Gabrielli Alvez, Marcos Abdallah, Marina Rebelatto, Rebeca Nicocan

Caixa origami

https://drive.google.com/file/d/0ByuweiVmMz0AT0FGb0d5cjZaeVU/view
Membros: Hikari Sato, Cindy Muramatsu, Mizue Otsu, Carolina Lie Shimizu,Mei Kawahara, Vanessa Ghiraldeli Usó, Fernanda Gasparoti, Juliana Denadai, Marília Tiritan e Vinicius Posteraro

Cata-Vento

https://drive.google.com/file/d/0B-UlveAKLk0gaWJSOWk4bm1aTzA/view
Membros : Lucas Zitti, Carolina Zanotto, Dimitri Gonfinete, Gisele Crisóstomo, Mayra Shinzato, Naara Bartz, Natasha Simões Tavolaro

Earwear

http://earwear.tumblr.com/
Membros: Raissa Sansaloni, Marina Forster

Figura de ação open

https://drive.google.com/file/d/0B0Wx2dCHOrIpRkptRUdyc3pWZms/view
Membros: Lucas Castor, Thiago Lopes

Flocos modulares

https://drive.google.com/drive/folders/0B8N4h1aStia4RHVMSDFyM3RZX0k
Membros: Renata Carlassara, Luciano Blasi, Gabriela Fontoura, Pamela Raul

KongFu Light

http://margarethchan.tumblr.com/post/151863045528/trabalho-de-linguagens-contempor%C3%A2neas
Membros: Daniela Cabeça, Margareth Chan, Matheus Petroni, Murillo Rosa e Victor Ishihara

Kraken PROJECT

https://drive.google.com/drive/u/0/folders/0B8JJkTDe1M3UaC1vX2hISDVWWWs
Membros: Amanda Coelho Figliolia, Arlete Ventura, Gisele Baldo de Lima, Larissa Raduam Junqueira, Natália Inês Martins Ferreira

Monolito

https://docs.google.com/document/d/1NHTg7HAUBIEkF7qRk9NnP3PXP0g-aB_PogfBbMqeWvw/edit
Membros: Vitor Camilo e Jessica Ortiz

Oikos Bag

https://drive.google.com/drive/folders/0B0txTJepvnPueGhwYnFYM2pfeFk
Membros: Ingrid Estolaski, Luis Felipe, Nicolline Muratti e Pedro Ueta

Projeto Sophia

https://drive.google.com/open?id=0B9ph8MUnfwxyUThLcU5wMjI4aVk

http://www.overclock.net/t/1603423/scratch-build-project-sophia-laser-cut-mdf-case-wip
Membros: Caique Guerra, Rafael Tofanelo, Gabriela Moraes

Reparos

https://drive.google.com/drive/u/0/folders/0B4DoV16uFtv1bC1Fdjk5blB4UVE
Membros: Cahenna Salles, Rafaela Pedigoni

Technoporn

https://drive.google.com/drive/folders/0B3uSDCsAKim5ZGZzU1JOOFA2N1k
Membros: Ana Luísa Lima, Giulia Yosue, Guilherme Contini, Nathalia Torres, Vinícius Akamine.

Tricolab

https://drive.google.com/file/d/0B-Q_cZcItFq4dFEzSzhSaU9rdDQ/view
Membros: Ana Carolina Honorato, Antonio Carlos Signorelli, Fabíola Yumi Nakagawa, Fernanda Luqueze, Juliana Pires

Vrum Vrum

https://drive.google.com/drive/folders/0B5TV5xcKtE5MZ05UcDRIWWNuWUk
Membros: Beatriz Macarini Mangialardo e Carolina Gifalli

Fim do Semestre

Com fim do primeiro semestre de 2015 a turma se dividiu em grupos para planejarem ideias makers que já estão inseridas na WIKI do SAGUI LAB: http://www.saguilab.wiki.br/index.php?title=Ideias_para_projetos

São elas:

App de Caronas

Panelão Universitário

40s mais legais

Telescópio Maker

Karaoke Maker

FAB LAB – Filosofia Maker 2015

Makers_anderson

Iniciando o primeiro o semestre de 2015 com a turma do 3º ano de Design na disciplina de Linguagens Contemporâneas o professor Dorival introduziu os alunos a cultura Maker, aos coletivos criados por alunos, estudantes, professores e os mais diversos profissionais das mais variadas áreas, desde o Design propriamente dito até engenharia, biologia, programação e comunicação.

Em seguida tivemos duas palestras enfatizando ainda mais não só a cultura Maker, mas suas aplicações, seu funcionamento. A primeira apresentada pelo Vitor Marchi, aluno do 5º ano de Design que esta se preparando pra entregar seu TCC e a segunda com o Edison Rodrigues, um dos fundadores do Sagui LAB, projeto da Unesp Bauru que agrega o centro Maker da universidade. Vitor trouxe a sala sua experiencia periginandro pelo estado de São Paulo e conhecendo os Fab Labs montados por estudantes e professores, Edison apresentou o projeto Sagui LAB “com o objetivo de construir ferramentas de fabricação digital com o espírito open source associado ao ideal Do It Together”.

Fechando a quarta aula da disciplina e abrindo a primeira mesa redonda a sala se dividiu em grupos para debater e dissecar o livro: Makers, a nova revolução industrial, de Chris Anderson, serão ao todo 4 grupos para 4 reuniões:

G1 – Thomas, Selene, Adrieli, Joyce e Tatiane – 07/07/15

G2 – Raissa, Carol Ota, Sofia, Luzia e Giovani – 14/07/15

G3 – Carol Murgel, Rafaela, Maria Tereza, Victor e Ariane – 21/07/15

G4 – Arthur, Verônica, Thiago e Lucas – 28/07/15

QR Challenge

Logo QR Challenge

QR Challenge é uma proposta onde pequenos desafios são dados com o objetivo de interação, ela foi baseada no conceito de TAZ e ocorreu durante o encontro regional de Design (R Misto). Após ter a tarefa cumprida o participante posta o vídeo/foto na rede social com a tag #QRCHLLNG.

É possível encontrar todos os desafios na página oficial.

Desafio
Desafio

Gleisson desafio

Bruna desafio

Foto

Orquestra Medirerrânea

Imagem

Nós nāo criamos uma orquestra, criamos o espirito pra que elas acontecessem. Criamos o local, o processo e o produto emerge. – Tom Zé

A Orquestra Mediterrânea juntou pessoas do mundo inteiro pela musica. Os 24 músicos vieram de diferentes paises e não falavam o mesmo idioma, mas tinham em comum a linguagem universal da música. Foi uma experiência organizada por 3 Diretores para atingir a coletividade. Eles sairam do mundo civilizado para entrar na cultura global, com uma espontâneidade e certo improviso montaram as músicas a serem apresentadas.

Imagem

O show segue o frenezi de Sāo Paulo, os músicos foram convidados a conhecer a 25 de Março, o Mercadāo e o Centro Antigo: o Som da Cidade, uma orquestra popular do dia a dia. O clima é de festa ou melancolia, meio caótico mas divertido, sempre com o tom do Mediterrâneo.

Imagem

A organizaçāo da Orquestra Mediterrânea, e de cada vez mais projetos contemporâneos vem das JAMS: tocar uma música sem saber o que virá depois, no improviso. A palavra JAM também pode vir do significado de “geléia”, já que ela faz uma mistura de estilos. É uma roda sem fim, e a orquestra mediterrane quebra esse paradigma, vem com a Complexidade.

Uma orquestra desenhada segundo os pressupostos da complexidade. Estamos diante de objetos multiplataforma e portanto o PROJETO E O PRODUTO são apenas PROCESSOS em construção:  emergentes!

O DVD desse incrível projeto pode ser encontrado na loja do SESC SP

http://tvsesc.net/loja/761_ORQUESTRA+MEDITERRANEA

Imagem

Sistemas Complexos

Quando projetamos um conceito em design na contemporaneidade, somos conduzidos pelo próprio cenário atual a situá-lo em teorias científicas como a complexidade (trânsito entre o simples e o complexo), sistemas emergentes (Steven Johnson) e como metáfora: os brócolis se oraganizam como os fractais.

Embora o modelo mental tipo vertical top-down  ainda seja predominante, precisamos projetar sistemas que tenham estruturas horizontais e rizomáticas, que expandam-se a partir de um inteiro adium infinitum. Assim é a estética comtemporânea.

Em outras palavras isto significa que a partir de um ponto podemos ver o todo, pois em cada terminal de um inteiro haverá um outro mesmo inteiro. Mas eim! Já vimos isto em algum lugar? Sim, o brócolis, as matrioskas, os projetos de computação, calendoscópios, são alguns exemplos de fractais  em que a complexidade pode ser visualmente entendida.

ImagemImagemImagem

Operar com complexidade no design exige a construção de sistemas que sejam adaptativos, que funcionem a partir  de regras simples, que permitam a semiosfera ser alimentada através de comportamentos emergentes: uma mistura de ordem e anarquia onde a criação torna-se e depende de uma inteligência coletiva. TAZ? SIM! Através da conectividade, a emergência deve acontecer quando eventos complexos se formam com base nestas regras simples e por co-evolução, devem ocorrer sinergias sem a existência de hierarquias.

Leitura sugerida –
Teoria do Conhecimento e Arte. Autor:Jorge de Albuquerque Vieira.

 

Emergência. Autor: Steven Jonhson
Imagem

 

Open Design Now. Editors Bas van Abel, Roel Klaassen, Lucas Evers, Peter Troxler

Imagem

TAZ

Fomos condenados a utilizar a linguagem digital, e por isso hoje vivemos entre dois mundos que acontecem simultaneamente, numa fita Moebius cujo espaço é líquido, vivemos dentro e fora ao mesmo tempo.

Imagem

Atualmente temos que projetar transitando entre Cyber Espaço e Realidade, como a fita de Moebius, em eterna liquidez. O mundo material recebe interferências e ecos das reais alterações e evoluções transcorridas no digital, o espaço-temporal.

A TAZ, Zona Autônoma Temporárea, ocupa esses dois espaços. Sua definição não é exata (recomenda-se a leitura do livro de Hakim Bey para entendê-la), mas podemos supor que a TAZ é um grupo que organiza um levante a partir de furos no mapa fechado e explora essa liberdade enquanto pode, hackeando espaços e gerando novos territórios temporais.

Os participantes da TAZ veem onde estão os fluxos de força e pontos de poder e os mapeiam de forma Rizomática e levantando-se contra a ordem vigente. Para organizar esses levantes é essencial o uso de uma conexão instantânea, como a internet.

O objetivo é a intensificação da vida cotidiana, inserir o maravilhoso na vida, onde pessoas com o mesmo interesse são conduzidas ao terrorismo poético ( espaço que compartilha a libertação da imaginação e criação humana ) construindo uma experiência coletiva. A TAZ é autoexplicativa e  apodera-se de comportamentos de invisibilidade, possibilidade e transformação, faz a diferença, é coletiva e tem um fim em si mesma. Sua existência é o imediato, o conceito deve-se contruir em ação.

Como referências temos o festival de Woodstock, a manifestação de contra cultura que se tornou lendária, podendo ser considerado como a primeira T.A.Z.

Imagem

A obra de Escher, exemplifica o fluxo contínuo e líquido como a Fita Moebius

Imagem

As obras de Christo e Janne Claude que embrulham espaços geográficos e coisas de grande escala em suas intalações,hackeiam espaços que agora atraem pessoas ocultando o banal para torná-lo algo novo e maravilhoso.

Imagem

Alexandre Orion que faz intervenções e mostra o que está na frente dos olhos mas não é visto.

Imagem


Início

Linguagens Contemporâneas:

Design e Mobilidade

A disciplina de Linguagens Contemporâneas, do curso de Design da UNESP de Bauru, ministrado pelo Professor Dorival Campos Rossi, é o ponto de partida para uma investigação sobre a cibercultura, a Net Art e todas as outras formas de expressão hipertextual, seja ela real ou virtual.
Acompanhe nossas atualizações!

Junte-se a 15 outros seguidores

Páginas

LC no Flickr

DSC_0086

DSC_0085

DSC_0082

DSC_0077

DSC_0073

Mais fotos

RSS Twitter @bauruhaus

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Blog Stats

  • 38,396 hits