Os blocos, T.A.Z e uma Segunda Vida

Parece que não foi há muito tempo (mas foi). Mais ou menos em 2005 houve a explosão de um joguinho chamado Second Life, era o máximo! Você cria um avatar à imagem semelhança do seu ego, explora um mundo totalmente

Imagem

virtual e novo, voa, nada, mata, corre, dança. Havia até um sistema econômico completo, poderia vender o que quisesse e fizesse, roubasse ou ganhasse e ainda por cima tirar um lucro com dinheiro real no final do mês. Era a utopia das redes sociais e jogos via internet. Não conseguiu ser “famoso”  na “primeira” vida? Você poderia tentar o estrelato na “segunda”. Tinha tudo para dar certo; saiam artigos em jornais, revistas, e televisão sobre o jogo do momento. Até as grandes empresas aderiram a moda e abriram stands no mundo virtual. Realmente se tornou uma nova vida. Pior do que isso: se tornou a vida. O jogo havia sido feito para ser mapeado, e o foi. Acabou o escapismo, todos caíram na monotonia e o hoje o jogo mal conseguiria sair em jornal de bairro. O jogo, tentando se aperfeiçoar cada vez mais para parecer com a vida acabou criando um calcanhar de Aquiles e ocupou-se ele mesmo de atingí-lo. Se foi uma falha ou simplesmente uma evolução natural do estilo de jogo, isso cabe a outro post.

Pois agora há um outro jogo que também está crescendo (não tanto quanto o Second Life em seus tempos áureos): Minecraft. Um jogo simples, formado exclusivamente de blocos e nada mais. Tudo é simples nesse jogo, não há objetivos realmente sólidos, não é uma rede social em 3D, e o melhor: é um mundo aberto simplesmente à sua criatividade.O jogo é a T.A.Z em si. Talvez pela falta de semelhança gráfica com o “nosso” mundo, o jogo toma um rumo diferente de seu parceiro do passado. Talvez isso deva-se ao fato do jogo ter parado antes da “queda” do Uncanny valley; não se pode saber ao certo. Interessante também é a forma de criação do jogo: Notch, o “criador” do jogo é uma pessoa que posta tudo sobre a criação, e o próprio método de criação do jogo é, muitas vezes, feito à partir de opinião dos usuários. Não se pode dizer que o meio de produção do jogo determine-se como “in process” pois, apesar de estar sempre se atualizando, um dia ele há de parar. O próprio Notch disse que quando o jogo já tiver uma certa idade ele irá disponibilizar o código para todos!

Seria legal postar o link do Second Life aqui, mas ele já é passado, a rachadura no sistema agora mora no Minecraft.

http://www.minecraft.net/

0 Responses to “Os blocos, T.A.Z e uma Segunda Vida”



  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




Início

Linguagens Contemporâneas:

Design e Mobilidade

A disciplina de Linguagens Contemporâneas, do curso de Design da UNESP de Bauru, ministrado pelo Professor Dorival Campos Rossi, é o ponto de partida para uma investigação sobre a cibercultura, a Net Art e todas as outras formas de expressão hipertextual, seja ela real ou virtual.
Acompanhe nossas atualizações!

Junte-se a 15 outros seguidores

Páginas

LC no Flickr

DSC_0086

DSC_0085

DSC_0082

DSC_0077

DSC_0073

Mais fotos

RSS Twitter @bauruhaus

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Blog Stats

  • 38,343 hits

%d blogueiros gostam disto: