Arquivo para junho \22\UTC 2011

Design e Mobilidade

Estes foram os trabalhos de final de semestre apresentados para a disciplina de Linguagens Contemporâneas e realizados pelas turmas do 5° semestre de Design.

Bus Finder

Alunas: Adriane Mascotti e Ariane Soares

Easy List

Alunas: Alice V. Guidoni, Angelica M. de O. Pereira, Elissa Soares, Janine C. Pereira, Sabrina S. Antunes, Tatiana K. Hasimoto.

Projeto Zibrons

Alunos: Anderson Jun Aoyama, Felipe Minutti, Paulo Infate

Sensia

Alunas: Ana Carolina Toyama, Barbara Schrage, Julia Martinussi, Mayara Ochiai, Tatiana Aleixo

Dandelion

Alunos: André Rodrigues, Guilherme Colosio, Natalia Dian, Wagner de Souza

Leitura Virtual

Alunos: Marielle Claudino, Pedro Ferreira

A bolinha cinza

Alunos: Ed Carlos de Souza, Thiago Pereira Alonso e Alexandra Yumi Yanagiwara

Projeto Lúdico de Interação e Movimento – PLIM

Alunos: Bruna Hissae Yoshiassu, Ciro Baghin Bertolucci, Lais Munhoz Mastellari, Matheus Henrique Bonetti, Rômulo Henrique Pellizzaro

Musicity

Alunos: Alana, Amanda, Isabela, Paula, Rodrigo 

Kafka

Alunos:Fernando Lopes, Erica Nonaka, Lais Taufic, Shih yhu Huang

BEANS

Alunos: Carlos Vinicius Ryal Dias, Luciana Grechi Grandesso

DadaLira

Alunos: Paulo Rocha, Camilo Solano, Marina, Carol, Letícia

Run

Alunos:  André Luken,  Caio Rosa,  Gabriel Fernandes

Two Little Birds

Alunos:  Daniel Yamada, Michele Massagli, Paulo Soucheff, Victor Koller, Vivian Desie

PMAP

Alunos:  Felipe Estevan, Guilherme Antoniucci, Ian Albiero, Murilo Guerra, Rafael Corazza, Vinícius Trentin

Firesearch

Alunos: Daniel Giulliani, Guilherme Lopes, José Henrique Ronchi, Karen Bogéa, Luiza Sidinani, Nina Madueno, Vitor Cunha Lima

Transitum

Alunos: Tulio, Thomas, Dora, Ana Luiza, Carol Cres e Carol Juliao

Mobile Switch

Alunos: Ivan Pedroni, Jorge Neto, Bruno Zequim, Valdir Souza Jr.

A Fabulosa Odisseia do Ornitorrinco Subatômico

Alunos: Daniela Yumi Onari, Gabriel Biancardi Cassiano, Henrique Hideo Suenaga, Laís Mayumi Shiraishi, Samanta Aline Teixeira, Victor Claudio de Paula e Silva

Aplicativo piloto jogável em flash: http://www.megaupload.com/?d=Q1VPZCH3

Leite com Pêra e Stardust

Alunos: Ana Paula Kiyohara, Karina Nakata, Laura Mattara, Leandro Jammal, Tatiana Harada

IDE

Alunos: Ricardo Olbrich, Ricardo Volpe, Saulo Pintar


Design e Mobilidade – Apresentação dos Trabalhos

Dia 22/06/2011 teremos apresentação dos trabalhos de Design e Mobilidade do curso de Linguagens Contemporâneas. As apresentações iniciarão às 19 horas, na sala 01, na UNESP – Bauru.

A entrega dos trabalhos deverá ser feita até dia 21/06, ao mais tardar, no email cibermotoresbauru@yahoo.com.br . Deverão ser enviados um link do Youtube com o Trabalho realizado e um link do Megaupload, 4shared ou qualquer outro compartilhador de arquivos similar com o arquivo do vídeo. Se houverem dúvidas, por favor contate algum Cibermotor.

O Processo como acidente II – John Cage

John Milton Cage Jr. foi um compositor, poeta, pintor, teórico musical experimentalista e escritor norte-americano. Sua matéria prima é o óbvio, o cotidiano – tudo o que já existe, mas que passa despercebido ao sentimento geral. Cage eleva o barulho-ruído ao status de música, fazendo o mesmo com o silêncio.

A peça 4’33”, composta por Cage em 1952, surgiu para quebrar um paradigma da música ocidental, que explicava a música como uma série ordenada de notas. John Cage voltou-se para outros princípios da música, trazendo ao palco a simplicidade e o caráter imprevisível dos sons emitidos pela plateia durante o espetáculo.

Podemos tirar de lição da obra de John Cage o seu perfil inovador. Ele foi responsável por desmaterializar um princípio que parecia inseparável do conceito de música que é a emissão ritmada de notas. Além disso, Cage desvinculou-se de processos convencionais de criação e execução musical, trazendo para sua composição um caráter muito mais sentimental e sensível para os músicos e a plateia.

Nós, como designers, devemos lembrar-nos de John Cage sempre que formos executar um projeto. Entretanto, como nos preparamos para produzir conteúdo para o mercado, nos focamos quase sempre no resultado final do produto que estamos executando. Assim, acabamos esquecendo a lição que Cage nos deixou e que podemos dizer que é o que nos faz realmente designers: saborear o processo criativo sobre qualquer outra circunstância.

Essa ideia simples é capaz de diferenciar o designer dos anos 90 do designer do futuro. Este criará projetos com prazer e dedicação, aproveitando as lições e dificuldades encontradas durante o processo. Deste modo, seus projetos poderão perpetuar-se no tempo, pois se renovarão como suas ideias.

O Processo como acidente I – Norman McLaren

Norman McLaren foi um dos mais importantes animadores escoceses voltados para a animação artística. Uma das técnicas pela qual ficou consagrado foi a de fazer animação direto na película riscando e desenhando, tudo isso ao som de jazz, do qual era muito fã.

As animações Dots (1940) e Boogie Doodle (1941) são grandes exemplos da técnica e criatividade desse grande artista. McLaren foi um desafiador dos instrumentos de mídia da época, explorando novas formas de se abordar o processo criativo.

É interessante observar o quão visionário Norman era para a época. Para realizar seus trabalhos direto na película, McLaren utilizava-se de conceitos filosóficos e matemáticos, além de relações entre cor, imagem, ritmo e som.

A grande lição que podemos tirar do legado de Norman McLaren é o seu princípio de criatividade baseada em conceitos técnicos muito bem estabelecidos. Isso não impediu que McLaren pudesse criar obras espontâneas e pudesse saboreá-las ao fim de um processo muito bem estabelecido.

O paralelo que podemos traçar entre Norman e o design contemporâneo está longe de representar apenas a criação de projetos ao acaso. Podemos dizer que o processo criativo do designer deve basear-se em conceitos muito bem definidos, que demandam muito estudo e experimentação. A partir desse alicerce, o designer pode desenvolver projetos na mesma linha de Norman, ou seja, aproveitar todo seu potencial criativo e inovador dentro de uma linha extremamente coerente de pensamento.


Início

Linguagens Contemporâneas:

Design e Mobilidade

A disciplina de Linguagens Contemporâneas, do curso de Design da UNESP de Bauru, ministrado pelo Professor Dorival Campos Rossi, é o ponto de partida para uma investigação sobre a cibercultura, a Net Art e todas as outras formas de expressão hipertextual, seja ela real ou virtual.
Acompanhe nossas atualizações!

Junte-se a 15 outros seguidores

Páginas

LC no Flickr

RSS Twitter @bauruhaus

  • Ocorreu um erro. É provável que o feed esteja indisponível. Tente mais tarde.

Blog Stats

  • 41,249 hits